Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

VERSOS RIMADOS

Versos de amor, de crítica, de meditação, de sensualidade, criados ao sabor da rima e da métrica pelo autor do blog...

Versos de amor, de crítica, de meditação, de sensualidade, criados ao sabor da rima e da métrica pelo autor do blog...

O ARGUEIRO


Tu já és o pó que à terra há-de voltar
Embora na terra ainda sejas passajeiro
Uma travessa em frente do teu olhar
Não impede que no alheio vejas o argueiro.

Vejo-te perdido numa idade
Em que o movimento deixou de existir
Vives fora da modernidade
Tens no passado o teu único porvir.

Não lês como não liam os teus avós
Não escreves que para ti não há penas
Revês-te em coisas tão pequenas
Que a tua vida é uma corda cheia de nós.

Como gostava de poder estender-te a mão
Mas tu foges do que em mim não vês em ti
Condenas-te condenando-me sem razão
Nunca verás o que até hoje eu já vi...