Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

VERSOS RIMADOS

Versos de amor, de crítica, de meditação, de sensualidade, criados ao sabor da rima e da métrica pelo autor do blog...

Versos de amor, de crítica, de meditação, de sensualidade, criados ao sabor da rima e da métrica pelo autor do blog...

POR VIA DA AUSTERIDADE

Não poderei viajar

Após tanta austeridade

Só me resta passear

Aqui pla minha cidade.

 

Avenida Belo Horizonte

Actividades no cais

São uma ótima fonte

De vistas senhoriais.

 

Reconhecer à distância

Prédios que rompem o céu

Tem alguma relevância

No dia a dia que é meu.

 

As inúmeras estradas

Que percorro no Concelho

Dizem-me que não estou velho

Para longas caminhadas.

 

Dialogo com as ruas

Travessas e avenidas

Quer as minhas quer as suas

Não são conversas perdidas.

 

Se a via não tem saída

Um atalho ou escada

Levam em menos de nada

À direcção pretendida.

 

Na companhia da flora

Assim como de animais

Lá vou indo estrada fora

Entre soutos e pinhais.

 

Às vezes do lado inverso

A paisagem parece outra

O olhar fica disperso

E a confusão não é pouca.

 

Uma lonjura à primeira

É sempre muito comprida

À segunda e à terceira

Já fica mais reduzida.

 

Sob o céu que nos abriga

Mais o Sol que tudo aquece

Caminhar traz a fadiga

Que somente me enriquce!