Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

VERSOS RIMADOS

Versos de amor, de crítica, de meditação, de sensualidade, criados ao sabor da rima e da métrica pelo autor do blog...

Versos de amor, de crítica, de meditação, de sensualidade, criados ao sabor da rima e da métrica pelo autor do blog...

O MEU COMPROMISSO

Por mim passaste a correr

E tu nem sequer me viste

Por isso fiquei mui triste

E a pensar no que fazer.

 

Julguei que tu já sabias

Como anda o meu bem querer

Mas se agora o contrarias

Como é que eu hei-de saber?

 

Vou passar à tua rua

Bem junto à tua janela

Quiça posso ver-te nua

Ao dar uma espreitadela.

 

Se ao espreitar deres por isso

Talvez tudo se decida

Caso tu me dês guarida

Dar-te-ei o meu compromisso!

A TUA MARCA

Deixaste em mim a tua  marca

No dia em que nós dois caímos

Naquela palha seca e farta

E felizes de lá saímos.

 

Olho para ti e revejo

Uma donzela afogueada

Em cima da palha deitada

Que morre e provoca desejo.

 

Ainda me recordo bem

Do teu arfar e dos gemidos

Quase abafavam os ruídos

Que chegavam de mais além.

 

Inefável esta memória

De que falo com meus botões

Verdadeiro dia de glória

Bálsamo nas desilusões!

POR UNS SEGUNDOS

Roubei-te aquele beijinho

Ao passares entre as sebes

Agora tu já percebes

Que ando preso plo beicinho.

 

O gosto da tua face

Que eu osculei com ternura

Nos meus lábios inda dura

Nem me parece que passe.

 

Não percebo por que evitas

Um novo encontro entre nós

Se avançar de mais tu gritas

Quando estivermos a sós.

 

Ande lá por onde andar

Os teus lábios tão carnudos

Morrerei se não beijar

Ao menos por uns segundos!

TEMPO QUE FINDOU

Q

As águas calmas do mar

Lambram-me o teu olhar

Sereno e convidativo

De repente fico apreensivo

Porque não sei se vais voltar.

 

Quando viviamos juntos

Havia um paraíso

No teu doce sorriso

Momentos que são defuntos

Falecidos num tempo impreciso.

 

Após nevoeiro cerrado

Voltando o Sol a brilhar

O bom humor é renovado

Assim seria ver-te regressar.

 

As pétalas já caídas

De qualquer flor que murchou

São horas por nós vividas

Nesse tempo que findou!

 

VI O TEU ROSTO CORAR

                          

 Vi o teu rosto  corar

Ao olhares para mim

Mas não posso imaginar

O que o fez corar assim.

 

Cá por mim posso dizer

Que o coração se agitou

Talvez fosse de saber

Por que o teu rosto corou.

 

Fosse eu como o coração

Um tão bom observador

Certamente que o rubor

Não teria sido em vão.

 

Meu coração e teu rosto

Vão falando entre si

E eu vou vendo com desgosto

Que nem se lembram de mim!

ESSE DESEJO

                                                                                                                        

Um dia li no teu olhar

Um desejo que não dizias

Desde então vivo a esperar

Que faças outros dos meus dias.

 

Acordo muito sorridente

Se o sonho é sobre o teu olhar

Feliz porém serei somente

Quando for mais do que sonhar.

 

Sendo ela a última a morrer

A esperança trago comigo

Ainda havemos de viver

Esse desejo que persigo!

ATÉ ÀS TANTAS


Os sussurros que chegam aos meus ouvidos
Quando pronuncias o meu nome Abel
são doces quais melosos zumbidos
De abelhas elaborando favos de mel,

Nas tuas mãos trazes a delícia
Das carícias cada vez mais recriadas
Adormeço adormecido na preguiça
De separar as nossas mãos entelaçadas.

Nos teus beijos mato a sede infinda
Que os teus lábios tão bem sabem saciar
Olhando para ti vejo-te tão linda
Que o coração parece querer me abandonar.

Vai sem sair do meu peito
Paira sobre nuvens em folguedo
Só e mudo no pretérito-perfeito
Ora o que de ti vê diz-me em segredo.

Outrora uma rua silenciosa e parda
Hodierna avenida ladeada de plantas
Amanhã é um tempo que não tarda
Transbordemos hoje de amor até às tantas!  

O SEGREDO

Nos dias venturosos de primavera
Em que o vento sopra mais ligeiro
Encurtas  muito mais a minha espera
Do que no tempo frio ou soalheiro.

O teu corpo cheio de frescura
Abre-se em pétalas coloridas
Sou rio correndo sobre a planura
Do horizonte das nossas vidas.

Qual árvore folheando os seus ramos
Trazes contigo  o Sol levantino
Tens a luz da lua quando admiramos
O mar tomado de furor repentino.

Serás sempre um elo no destino que for
Forte ou fraco pouco importa
Serás  a chave que abre e fecha a porta
Por onde exalamos o perfume do amor.

As gotas caídas no chão duma gruta
Penetradas nos interstícios do rochedo
Trazem consigo o eterno segredo
Que só conhece quem as escuta...

SONHEI UM DIA CONTIGO




Sonhei um dia contigo
E passaste a ser alguém
Com que sonho ao abrigo
Dos sonhos que fazem bem.

Será por ti mais sonhado
De tudo com que sonhaste
O que sempre desejaste
Mas nunca foi alcançado.

Os sonhos que nós sonhamos
São coisas que se idealizam,
Embora todos saibamos:
Nem sempre se concretizam.

Dos sonhos lindos que sonham,
Da infância à velhice
Os homens não se envergonham
Que sonhar não é tolice!

CABEÇA TONTA



Andei pensando seriamente
Num poema de amor mais alegre
Em que a gente viva contente
Em que a tristeza não se nos apegue:

Ai amor como eu te amo
Sei que me amas também assim
Ou eu muito me engano
Ou este amor não terá fim.

Vejo no céu bom augúrio
E nos teus olhos também
Juro sem cometer perjúrio
Que te amarei ainda no além.

Há em tudo o que tu fazes
Um pensamento positivo
Nunca fazemos as pazes
Pois não te zangas comigo.

No seio do nosso lar
Tudo é grande ainda que pequeno
Sempre que vens anichar
No meu o teu corpo moreno.

Entre o teu e o meu corpo
Juntamente com o calor
Há uma troca de amor
Que nunca chega a ponto morto.

E pronto alcancei a conta
das cinco quadras habituais
Não carece forçar mais
Esta minha cabeça tonta...