Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

VERSOS RIMADOS

Versos de amor, de crítica, de meditação, de sensualidade, criados ao sabor da rima e da métrica pelo autor do blog...

Versos de amor, de crítica, de meditação, de sensualidade, criados ao sabor da rima e da métrica pelo autor do blog...

UM DESGOSTO

rosas.jpg

Na lida costumeira, a sua vida
Vivia ela, garbosa e tão bonita
Que dos homens a voz gemia aflita
Quando a viam passar muito atrevida

De muitos olhares ávidos seguida
Que olhavam entre si sempre em compita
Tentando conseguir a boa dita
Do olhar da mulher apetecida.

O destino fatal deu-lhe um desgosto
Que tirou a alegria do seu rosto
E afastou os olhares amorosos.

Agora já nenhum olha pra ela
Que nesta rosa pura e ainda bela
Morreram os trejeitos donairosos!

AS LÁGRIMAS

palmas.jpg

Naquela tarde triste acabrunhada
Um tremor invadiu a minha alma
À fresca sombra amiga duma palma
Ergui olhos ao Céu e não vi nada...
 
Lágrimas envolvidas de suor
Turvavam os meus olhos sem saber
Embora não sentisse o seu correr
As lágrimas lavavam minha dor...

No silêncio limpando cá por dentro
Iam diminuindo o sofrimento
Que vinha duma perda irreparável...

Perdida aquela imagem tão querida
Caíram os meus braços de seguida
E a vida se tornou insuportável!

REZAR UMA ORAÇÃO

rezaroracao.jpg

A última semana já findou
Esvaiu-se a ventura que me deste
Não há mais nada agora que me reste
Deixei de ser aquilo que não sou!

Não sou alguém feliz eternamente
Não tenho a ilusão de ser um Deus
Cheguei a ser feliz nos braços teus
Mas tudo terminou infelizmente!

Amor da minha vida nobre amor!
Tu trazes escondida a salvação
Escuta uma vez mais o meu clamor

Atende o teu bater do coração
E segue a voz que brama em teu redor
Vem comigo rezar uma oração!

AS PALAVRAS

aspalavras.jpg

Não é a solidão que mais me assusta
Nem sequer a razão da tua ida,
O que penosamente mais me custa
Foi tudo o que disseste à despedida!

Palavras rancorosas tão injustas
Saíram do teu peito empedernido,
Palavras elas ditas sem sentido
Tal como também tu hoje as refutas!

Mas as palavras partem com o vento
Quando sopra mais forte e arrasador
As tuas já ficaram ao relento!

Por isso vem depressa, meu amor,
Que viver mais sem ti já não aguento
A vida parou toda em meu redor!

PERDIDO NOS ACHADOS

absinto.jpg

Naquele salão todo engalanado
Em que exalava o cheiro do absinto
Choravam muitas vozes, inda as sinto,
Quando triste cantavas o teu fado!

Como se adivinhassem sem saber
A cor do sofrimento que cantavas,
Choravam igualmente o que choravas,
Sentiam como tu o teu sofrer!

Uma nuvem tão negra se abateu
Sobre o teu coração apaixonado,
traído muita dor ele sofreu!

Contigo chora ele amargurado
Os dias tão felizes que perdeu
Um coração perdido nos achados

OS TEUS OLHOS

constelacao.jpg

Nos teus olhos eu vejo a linda cor
Do azul celeste em dias de verão
E sinto renascer no coração
As cores também lindas do amor.

Teus olhos radiantes de esplendor
Lembram estrelas em constelação
E os meus que muito brilham de paixão
Ficam baços sem ti em meu redor.

As pérolas que trazes no teu rosto
Arredondadas tanto do meu gosto
São a beleza que mais me seduz.

Teus olhos que iluminam os meus passos
Pelos caminhos cheios de precalços
Do meu feliz olhar são também luz!

NUMA ANGÚSTIA PERMANENTE

 

A brisa da manhã beija-me o rosto.
Soprando num jardim em flor de 'sperança.
Em que passeio preso numa trança,
Urdidura amorosa dum desgosto...

Ao amor cada qual se encontra exposto.
O cupido se a sua flecha lança,
Inda que seja tarde nos alcança:
Quantas vezes ao Sol já quase posto!

O amor é um sentir que se renova,
Rejuvenesce tanto quem o sente!
Qual de nós não passou por essa prova?

É triste se o amor se torna ausente,
Mas se amamos alguém que nos reprova,
Vivemos numa angústia permanente...

A TRISTEZA SUCUMBIU

plasmas.jpg

Adormeci tranquilo e despertei
Dum sonho que trazia o teu perfume
De cheio coração de chama em lume
Nos plasmas do teu corpo serenei.

Plumas da elevação dos nossos fluidos
O espírito e matéria mais grosseira
Saíram da razão de tal maneira
Que os corpos se perderam em descuidos

Após escuridão de noite breu
Restolho pontiagudo da ceifeira
Castigos infligidos a Orfeu

A luz que procurava refulgiu
A vida se tornou a luz inteira
A tristeza tão viva sucumbiu!